27 November 2012

my message in a bottle

De tempos em tempos tenho necessidade de partilhar alguma intimidade aqui no meu amado blogue, sei que o tenho deixado um pouco ao abandono pois outras prioridades se meteram no caminho…
No sábado passou na tv o filme O PACIENTE INGLÊS. Um dos meus favoritos de sempre. Parece que hoje em dia já não se fazem filmes assim, em grande, ou então sou eu que não vou ao cinema com tanta regularidade…
Pois é, adorei rever o filme, desta vez a história teve mais significado para mim e os banhos de lágrimas souberam-me tão bem…

Gosto de me intitular uma "prequiçosa mental", talvez por não ter a capacidade de analizar pensamentos e sentimentos racionalmente, mas consigo faze-lo bem a um nível intuitivo. Pois a ponte que liga a minha intuição ao meu raciocínio, é uma ponte onde por vezes há ligações…
Por isso gosto de ver filmes, de ouvir música, de ler livros (mas depois de ter filhos já não leio é nada mesmo…), é onde vou buscar respostas às minhas ligações quebradas entre a intuição e o raciocínio! Não sei se estão a perceber alguma coisa daquilo que escrevo, mas para mim faz muito sentido…

Os meus momentos altos do filme:



 




São coisas que sei mas que esqueço constantemente… sei que cada um de nós cria o seu mundo muito particular e por vezes é difícil deixar entrar certas coisas… sei que cada um é aquilo que escolhe ser… sei que cada um tem o direito de querer o que lhe dá prazer… sei que não podemos ver os outros através dos nossos próprios sentimentos, pois todos sentimos diferente e reagimos diferente… sei que na maioria das vezes nem sabemos do que estamos a falar e as palavras às vezes atrapalham mais do que esclarecem… e sei que por vezes escondemos um sentimento e revelamos apenas o sentimento contrário…

Agora passando dos filmes para a música… onde as letras são poemas e falam tão certo da maneira como nos sentimos…

"Se alguma vez perguntares o porquê, não saberei dizer-te a razão, eu não a sei(…)
Se alguma vez te fiz sorrir e acreditaste pouco a pouco em mim, fui eu, bem sei(…)
Sinto levar-te à loucura, ao dar-te o veneno da minha boca, sinto ter de me ir assim, sem dizer-te adeus(…)
Isto acaba aqui, não há maneira nem forma de dizer-te que sim(…)"

excerto da letra da música Perdóname de Pablo Alborán


"O teu coração não está recetivo, por isso tenho que partir,
o feitiço quebrou-se e eu amava-te tanto,
a liberdade chega quando aprenderes a deixar-te ir(…)
Tu foste a minha lição, eu tive de aprender(…)
a dor é um sinal de que algo está errado(…)
Não existe nada mais para tentar,
Não há mais lugar para esconder,
Não há maior poder que o poder do adeus(…)"

excerto da letra The Power of Goodbye de Madonna

No comments:

Post a Comment

Obrigada por visitar o meu blogue, agradeço o vosso comentário!

Thanks for visiting and comment!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...